Blog

POR UMA CINCIA MAIS EFICIENTE

29 July 2019

É evidente que a ciência brasileira ganhou espaço e reconhecimento perante o mundo nos últimos 15 anos. Com os crescentes cortes orçamentários das agências de fomento e universidades, levanta-se o debate sobre a sustentação deste espaço e reconhecimento conquistado. Uma pergunta que tem sido pouco feita, porém, é: o quão eficiente nossa ciência é? Estamos aproveitando os recursos da melhor forma? Ou será que, mesmo em um momento de redução de investimento, podemos entregar ciência de qualidade?

Um dos problemas que certamente freia a eficiência de nossa pesquisa é a burocracia enfrentada pelos pesquisadores. Mas ainda sabemos pouco sobre o assunto: foi apenas recentemente que foi feito um estudo (2) de o quanto a burocracia atrapalha a ciência e o quanto de dinheiro perdemos com isso!

A maioria dos participantes do estudo percebe que o grau de burocracia aumentou nos últimos anos e entende que as atividades de gestão de projeto demandam muito tempo, são volumosas e complexas. Em média, mais de 33% do tempo desses profissionais altamente qualificados para gerar conhecimento é gasto com a gestão dos projetos, refletindo em perdas no esforço nacional de P&D.

Toda essa burocracia não representa apenas um prejuízo para o trabalho dos cientistas, mas um desperdício de dinheiro público. Fernando Peregrino, presidente do Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (Confies), calculou o tamanho desse prejuízo. Só em 2016, R$ 9 bilhões que poderiam ter auxiliado no desenvolvimento da pesquisa brasileira foram desperdiçados com entraves burocráticos (3). O que é mais uma evidência de que a falta de orçamento não é exatamente o principal problema.

Para os pesquisadores não há dúvidas, os processos são demorados e complicados. Foi essa percepção que fez com que Andreia Oliveira e Débora Moretti, pesquisadoras biomédicas, fundassem a iBench com o objetivo de desenvolver soluções para o mundo da ciência.

E que soluções são essas?

Vamos pegar um exemplo: quanto tempo se perde para procurar cotações ao fazer uma compra laboratorial? Já parou para pensar nisso? Com isso, aqui na iBench, criamos o iBench Market, o assistente de compras da ciência. Nada de perder tempo enviando e-mails e esperando respostas. As cotações são automáticas, pois no iBenchMarket você encontra diversos fornecedores de forma imediata. Estes fornecedores cadastram seus produtos com todas as suas informações (especificações, preço, prazo de entrega, etc) e cientistas podem comprar online diretamente deles de forma rápida e prática, comparando preços e produtos. Já entrou no iBenchMarket hoje? Vai lá! www.ibench.com.br.

E o que você acha sobre a eficiência da ciência? Como podemos mudar, o que podemos melhorar? Deixa um comentário dizendo o que você achou desse post!

Referencias:

(1) https://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2019/07/ex-ministros-da-ciencia-lancam-manifesto-contra-governo-bolsonaro.shtml?utm_source=newsletter

(2) http://confies.org.br/institucional/wp-content/uploads/2017/03/pesquisa_o_que_pensa_o_pesquisador.pdf

(3) https://jornal.usp.br/universidade/quanto-custa-a-burocracia-na-ciencia-r-9-bilhoes-por-ano/

Deixe sua resposta

Você deve ser logado no comentário.